40. SEGUNDO ANEXO: ADEUS, MINHA IMAGINAÇÃO

Aparições

UMA VAGA névoa pairando sobre metade das páginas:

(Às vezes o quão estranho e claro para a alma,

Leia o texto completo »

Meu 71°Ano

Após superar três vintenas e meia de anos,

Com todas suas oportunidades, mudanças, perdas, mágoas,

Leia o texto completo »

Adiante, Adiante, o Mesmo, Vós Alegre Par!

Adiante, adiante, o mesmo, vós alegre par!

Minha vida e recitativo, contendo nascimento, juventude, meia-idade,
Vacilantes como línguas de fogo variegadas, inseparavelmente entrelaçadas e fundidas em uma– combinando todas,
Minha alma única- metas, confirmações, fracassos, alegrias–Nem só alma única,
Canto o estágio crucial de minha nação (da América, por acaso da humanidade)–a grande tentativa, a grande vitória,
Um estranho eclaircissement* de todas as massas passadas, do mundo oriental, do antigo, medieval,
Aqui, aqui de andanças, erranças, lições, guerras, derrotas—aqui no ocidente uma voz triunfante–justificando tudo,
Um grito estrepitoso contente– uma canção desta vez do maior orgulho e satisfação;
Canto dele a massa comum, a horda média geral, (o melhor logo o pior)–E agora canto a velhice,
(Meus versos, primeiro escritos para a manhã da vida, e para a expansão do verão, do outono,
Passo  aos cabelos alvos como a neve igualmente, e concedo aos pulsos resfriados de inverno igualmente;)
Como aqui em trinado descuidado, eu e meus recitativos, com fé e amor,
Flutuando a outro trabalho, a canções desconhecidas,condições,
Adiante, adiante, vós alegre par! Prossegue o mesmo!

Leia o texto completo »

Adeus, minha Imaginação

ADEUS*, minha imaginação–(Eu tinha uma palavra a dizer,

Mas não é bem a hora—A melhor palavra ou fala de qualquer homem,
É quando chega o seu devido lugar—e por seu significado,
Mantenho a minha até o fim.) Leia o texto completo »

Últimas gotas hesitantes

E de onde vindes e por quê?

Não sabemos de onde, (foi a resposta,)
Só sabemos que flutuamos aqui com as demais,
Que protelamos e atrasamos–mas fomos carregadas por fim, e estamos agora aqui,
Para compor as gotas finais da chuva passageira.

Navega para Sempre, Forma Iate!

Levanta a âncora!
Ergue vela mestra e bujarrona – segue adiante,
Ah pequena chalupa branca, agora acelera em águas realmente profundas,
(Não vou chamá-la de nossa viagem derradeira,
Mas início e entrada certa à mais verdadeira, melhor, mais madura;)
Parte, parte da sólida terra–não mais retornando a estas praias,
Agora para sempre viajando nossa infinita aventura livre,
Repelindo todos portos, mares, amarras, densidades, gravitação, já experimentados,
Navega para sempre, minha forma iate!

Uma Saudação de Natal

Uma Saudação de Natal

.

Leia o texto completo »

Introdução a SEGUNDO ANEXO: ADEUS, MINHA IMAGINAÇÃO

O livro ADEUS, MINHA IMAGINAÇÃO (GOOD-BYE MY FANCY), de Walt Whitman, é o último do volume Folhas de Relva, e foi incluído na última edição da obra, de 1891-92, como segundo anexo. Este livro contém dois poemas com este título: o terceiro e o último, que fecha Folhas de Relva.

Leia o texto completo »